quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Alberto Cuddel - Declaro-me...



Agora,
Sim agora,
Sabes que sim,
Que privar-me de mim,
Não faz sentido,
Enclausurar todo o sentir,
Reter o que deve ser dito,
Não, não faz o mínimo sentido,
Nada faz sentido, neste doce sentir,
Prender, amordaçar, não poder gritar,
Que sentido teria no silêncio da paixão,
Se não gritado, sussurrado, gemido,
Até chorado no âmago do prazer…

Não, não faz sentido,
Deixar-me morrer na dádiva,
Deixar-me morrer na entrega,
Quando basta dar-me, 
Dar-me apenas a ti!...

25/11/2014
Palavras Desconexas