domingo, 11 de outubro de 2015

Escondo-me **


Escondo-me intrépido por detrás do teu rosto,
Por detrás da imagem refletida do teu rosto,
Olho-te nos olhos, como estranho,
Desconheço o que pensas, apesar do eu
Eu, que me olho, que me vejo, ser o tu
Que me olha, que me lê, que me escuta,
Escondo-me por detrás das linhas da escrita,
Nas vírgulas fora de sitio, no assentos
Nos adjetivos, que adjetivam o que sinto
Sem realmente, querer sentir o que mostro
Não mostro o que realmente sinto,
Pois eu sim, finjo escondido,
O que escondido tenho em mim,
Os ocultos desejos traídos,
Reprimidos neste anafado corpo onde sonho
Explorar prazeres sem tempo, sem pudores
Sem repressões ou reclusões,
Onde me podes olhar nos olhos
E leres-me em ti, na transmissão
Despudorada do físico sentir,
Mesmo no sonho por ti sonhado
Escondo-me por detrás do reflexo
Do teu rosto no espelho!...
 
Sírio de Andrade®
In: Antologia Depressiva