quinta-feira, 5 de maio de 2016

Tributo a Mário Quintana

Os poemas
 
Os poemas são pássaros que chegam
Não sabem de onde e pousam
No livro que lês
 
Quando fechas o livro, eles alçam voo
Como de um alçapão.
Eles não tem pouso
Nem porto
Alimentam-se um instante em cada par de mãos
E partem. E olhas, então essas mãos vazias,
No maravilhado espanto de saberes
Que o alimento deles já estava em ti…
 
Mário Quintana
 
Os poemas
 
Os poemas são ajuntamentos de letras
Não sabes de quem e aparecem
Assim publicados.
 
Quando abres a comunidade, voam as letras
Em direção ao olhar.
Não param
Juntam-se
Alimentam-se a cada comentário.
E partem, a ser novos, em mentes vazias
Na maravilha espantosa de saber
Que eles já falavam, estavam em ti….
 
Alberto Cuddel