segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Paz na navegação...



Rude noite ensaiada
Desvirtuado querer
Conquista desejada
Território ocupado
Parte, descobre
Tanta ilha desabitada
Inóspita dizes
Quem sabe a ser domada
Palmeiras hirtas
Desajeitadas
Sequiosas de corte.
 
Deixai, segui em frente
Outra ilha, outro continente
Nada há a conquistar
Que não esteja consumido…
 
Ó gente minha
De onde vindes vós
Não vos quedeis por aqui
Nem há abrigo
Nem água a limpar o pó…
 
Não cuideis desprotegido
Este forte que avistais
Pode parecer sozinho
Apenas a enganar as tais…
Não, não vos quedais por aqui
Aprendei, segui viagem,
Ide a outras paragens…
 
Sírio Andrade®
In: Antologia Depressiva