domingo, 22 de novembro de 2015

CONSUMA-ME COM TEU PODER




Nem ao tempo
Nem ao mar
Ou ao vento 
Na pradaria a soprar

Que me faça respirar
Toca-me suave
Oh...brisa do mar
Deixe-me dormir 
Não interrompa meu sonhar

O sol no infinito 
Expõe seu brilhar
Mais bonito
Em homenagem ao prateado luar

Em meus sonhos
Vou te encontrar
Deflora-me com este olhar
Quero a ti e nesta loucura te amar

Afaga-me em teus seios
Em ti quero me perder
Consuma-me com teu  poder
Com teu jeito delicado em me ter

Parece-me um sonho distante lhe possuir
Me perco e te quero a me sentir
Neste delicioso verbo amar
Nem o tempo de ti ira me afastar...

No gosto do seu corpo quente
Possua-me conduza-me ao êxtase pleno em prazer
Sinto teu corpo vibrando a estremecer
O perfume de sua pele, neste meu corpo ardente
Consuma em ti o ato quero te-la em mim a se perder...


                        Poeta do Sertão
                            22-11-2015