domingo, 11 de outubro de 2015

Sírio de Andrade - Momentos de outra vida III

 

Sinto-me livre na tua partida, uma ausência liberta de todo o suposto controlo  imposto pela liberdade partilhada de uma felicidade ilusória. Sinto-me livre na tua partida, liberto das garras do sentimento ignóbil que nos molda e tolhe a razão, os desejos carnais de posse, de todo o tesão religiosamente reprovável, pecaminoso.

Sinto-me livre na tua partida, nem toda a felicidade nos faz efetivamente e afetadamente felizes, enclausurado que estava por ti, preso nesta deplorável jaula, limitado pela epiderme, rodeado de preceitos e preconceitos, socialmente e moralmente aceitáveis…

Sinto-me livre na tua partida, nestes míseros e escaços minutos onde na tua ausência de homem perfeitamente convencido que me controla, eu poeta assumo, não és ninguém, não és nada, não te permites como eu sonhar livremente as palavras… eu neste tempo que nos separa sou o tudo no pouco nada que me resta!...
 

Sírio de Andrade®
In: Momentos de outra Vida