quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Noite!...

Nada na noite é eterno
Nem a vontade de te possuir
Apenas em mim
No sonho poético
De mim próprio
Onde te sonho,
Onde me apaixono
Pela vaga ilusão
Que sejas em mim
Não uma paixão
Mas carne em minha
Alma adormecida
Disforme e sofrida!
 
Sírio Andrade®
 
In: Antologia Depressiva