segunda-feira, 23 de maio de 2016

"POEMA A CASIMIRO DE ABREU"




Nesta poética viagem 
Pelo anais da História
Embebecida se fez a memoria
Vestida em louros poesias e gloria

Em meu pensamento singular
Com o poeta Casimiro de Abreu
Em Barra de São João fui me encontrar
Quem por entre seus versos velejou
Saudoso ficou

Houve-se ao longe de além mar
Um estridente cantar
Me vem a memoria o sabiá e seu cantar
No exílio inspirou-se o poema
Para como em magia sua terra exaltar

Saudade lhe arde e queima o peito
Como lembranças vivas a se torturar
Os olhos se alagam aos prantos
Ansiando a hora de retornar

Nesta viagem poética 
O imprevisto me absolveu
O meu encontro com história 
Do poeta Casimiro de Abreu

Como não se deleitar o passado visualizar 
O jovem Casimiro de Abreu pelos campos a brincar
Com suas obras e nobre arte
Que as poesias de Casimiro nos ofereceu...

A ti Casimiro venho licença pedir
Para com esta homenagem lhe cobrir
Tu que és filho destas terras 
Margens do rio São João onde vistes os dias passar
Quisera eu contigo longínquo tempo poder brincar...


Poeta do Sertão
02-04-2016