terça-feira, 5 de abril de 2016

Alberto Cuddel

Mote: “No íntimo do teu ventre o universo”

Criou-te mais perfeita que o protótipo,
Agente em si sensível e multiplicador,
Complexo, diferente, simplesmente mulher!

Ser mulher, amar sem compreender
Ser vida, de si por amor nascer,
Projeto futuro, em tudo perfeito
Sem instruções, descoberta do mundo!

Ser mulher, carregar em si o ontem,
Educar, manipulando o futuro,
Ser parte de um tudo, infinito,
Sendo em si para alguém o mundo!

Ser mulher, na fragilidade de uma lagrima,
Na luz de um sorriso, num grito de desespero,
No gemido, no sussurro, na sedução
Na força em que expulsa de si o feto,
No amor incompreensível amando
Num pequeno ser também parte de si!

Ser mulher, é também no homem
Encontrar, o eu mulher por quem
Todo este mundo ainda avança,
Num sonho doce de menino,
Pensamento inocente de criança!

Alberto Cuddel