terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A SENDA


 

 

No final da vida

da lida, da estrada

da linha que finda

no fim da picada

 

 

tudo se desvenda. . .

Nada leva á Nada

Para além da lenda

a Verdade brada

 

 

Lá ninguém duvida

da Alma lavada. . .

Entrada é saída

Partida é chegada

 

 

Retirada a venda

reluz desvendada

a infinita Senda. . .

nada dá em Nada.

 

PAULO MIRANDA BARRETO

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.