quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

"Reencontrar-me Com a Felicidade Eis-me o Desafio"





Na solidão da noite
Lá vem ela para me consolar
É a lua a dama da noite
Que esta a me ampara

Solitário e pensativo
O sofá velho companheiro 
Em silencio a me escutar
Nem as flores do campo
Vieram à me amparar

No campo as borboletas voam felizes
Até as cigarras vieram cantar
As mariposas envoltas as lampadas à plainar
À ausência de um amor a me machucar

Na solidão fria da noite 
O frio impera em sua obscuridade  
Nesta jornada busco encontrar
Quem me retirou a felicidade
Pelo prazer de machucar

Como não sentir o corte 
Deste gélido e intermitente frio
Que ao bater nas arvores
Provoca sinistro assovio 
Reencontrar-me com a felicidade eis-me o desafio


                      Poeta do Sertão
                          03-12-2015