quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

"O MENTECAPTO"




Menos eu...Menos você
Como definir quem sou!!!
Como definir quem é você
como viver...Como é, o ser

Um mentecapto, sem destino
Um pouco tonto correndo mundo
Dormindo aos céus
Coberto de estrelas se aquecendo da lua

Menos eu...Menos você
As estrelas que brilham
Os caminhos à percorrer
De Leste à Oste...de Sul à Norte

Aos caminhos deste vida
Um perdido em pouca razão 
Que se priva da sorte 

Para seguir em liberdade
Perseguindo sem
Tão desejada felicidade
Um mentecapto sem maldade

De..Ponto...À...Ponto à caminhar
De Cidade..Em Cidade sem noção
Na arte de se ocultar

Distancias nunca antes percorrida
Por marcar distorcidas
Ainda que por tolice atingida

Menos eu...Menos Você
Onde nas noites frias
Um mentecapto se abrigar
Se lhe pouco importa um lar

Por entre as estrelas
Pois em ti desnuda lua
Percorra o infinito pura e bela
Brilhando sobre à rua...

O...Mentecapto...
Desgarrado e solitário
Jovem sem rumo à caminhar
Que um dia haverá de chegar...

       Poeta do Sertão
           17-12-2015