quinta-feira, 19 de novembro de 2015

DOCE MISTÉRIOS

 



Eu queria saber amar
Como a um falcão
Em pleno ar
Assim te encontrar

Na intensidade da paixão
O infinito em perversão
Loucos e amáveis, dócil adorável
Quantas loucuras a controlar

Eu queria me amar
Perdido nas ondas do mar
Do céu ao infinito
As estrelas a brilhar

À paz em mim ausente
Tormenta insana a me incomodar
Quem é você?, onde estarás
Mistérios à te envolver

Inquieta-me este silencio
Que vem do seu olhar
As pálpebras perdidas no ar
Como pássaros a voar

Quem é você? identidade a ocultar
Á quem falas de amor
Busco algo em verdade
Que me leve a sua liberdade

Saibas como amar
Quando o amor se apresentar
Abras os braços envolva-se com a paixão
Refaça a felicidade, neste silencioso coração...


                Poeta do Sertão
                     19-11-2015