sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Mariângela Padilha

Mariângela Padilha (Me Morte).
Mariângela Padilha, nascida cidade de Vacaria, Rio Grande do Sul e residente em Minas Gerais desde os doze anos de idade, em Pouso Alegre desde 1976.
Trabalhou na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos durante oito anos; foi Coordenadora do Centro de Reeducação Municipal – CREM, atualmente trabalha na área administrativa da Prefeitura Municipal de Pouso Alegre - MG.
Na área literária foi colaboradora durante dois anos do Jornal “Sul das Gerais”, participou de várias antologias pelo Brasil, concursos e eventos, destacando-se:
XX Concurso de Poesia Brasil dos Reis do Ateneu Angrense de Letras e Artes - 3º Lugar em Poesia Nacional , com o poema "O Pão do Armário” em 2005.
7º Prêmio Missões de Igaçaba Produções Culturais. Menção Honrosa Nacional com o poema "Corujas e Vento Forte (Amo)" e 2º Lugar Nacional - com o conto "João da Capa” em 2004.
8º Prêmio Missões de Igaçaba Produções Culturais. - 1º Lugar Nacional - com o poema "Sibilando...de Sol a Sol em. 2005.
“Pouso Alegre em Revista - Edição Turismo” com uma matéria esportiva e “Pouso Alegre em Revista - Edição 160 Anos de Pouso Alegre” com uma reportagem sobre a fundação da cidade.
Participou de todas as edições da EXPOSIÇÃO LITERÁRIA FEMININA“MULHERES NUAS” organizada por Paulinho Dhi Andrade -SP. ·
Na internet possui o heterônimo gótico “Me Morte” com o qual já lançou quatro ebooks: Libido, Histórias à Flor da Pele, Liberdade Condicional e poeMetos; em parceria com o desenhista Rafael Pereira lançou o ebook de histórias em quadrinhos Cotidiano Alternativo; Vale das Sombras foi um projeto criado no antigo orkut onde desenvolveu o projeto de literatura sombria www.valedassombrasmemorte.blogspot.com e www.memorte.blogspot.com e uma série de ebooks com participação de escritores e artistas em geral (4 volumes).

“A Lenda do Corpo Seco” é seu primeiro livro impresso, um romance infanto juvenil inspirado numa lenda urbana da cidade mineira de Pouso Alegre.
Lançado em 27/08/2009, diagramação e capa de René Ociné, revisão gráfica de Geralda Aparecida Dias e produção da Editora BIBLIOTECA 24 x 7.