terça-feira, 22 de setembro de 2015

O gestor do mundo

Queria eu, ser o gestor do mundo
Para quem sabe mudar alguns conceitos.

Primeiro:

Ordenaria que todos os homens fossem livres
De seus medos e remorsos.

Em minha gestão o amor seria prioridade!

Navegaria em oceanos de otimismo
Para coletar bons pensamentos, e depois jogar por entre
A multidão.

Queria eu ser o gestor do mundo
Para poder decretar a amizade coletiva.

Em minha gestão
Não existiriam bons ou maus
Todos seriam iguais perante a simplicidade
E a lei seria caçar o sorriso do dia
E caminhar sobre a alegria da noite.

O objetivo principal seria resgatar a felicidade,
O trabalho...
O trabalho seria a produção de grandes ideais
E todos seriam produtores de magia
E satisfação.

A revolução seria clarear todos os corações adormecidos.

Não existiria nação, classe social, ou padrões de vida.
Todos abraçariam juntos a mesma causa.

Não fui promovido a esse cargo
Mas acredito que cada um de nós pode fazer a nossa parte.


Para realizar é preciso construir
E sozinho ninguém caminha sem obstáculos.

A união traz a cura
Andar aliado a revolução é um percurso a atingir
Gerenciar sentimentos é algo subjetivo e simbólico


Beijar a coragem e deixa-la penetrar
Em nossas divergências
É um ato de grandiosidade.

Quem sonha em gerenciar um mundo
Cheio de abismos
Tem que ter plantado em sua alma
A vontade de mudar a si mesmo.


Hugo Paz