domingo, 20 de setembro de 2015

O Ébrio e o Poeta




Lado a lado a conversar 
O ébrio e o poeta 
Sentados a papear 
Olhar fixo o nada a observar

Pai e filho
Unidos em pleno amo
r
Que os caminhos os separou
O carinho solitários os deixou

Travessias e provações 
Nuvens negras e trovões
Até chegar o momento de se separar
Por quantas dificuldades irão passar

Tão próximos, tão distantes 
Um se afaga nos canaviais 
Outro se entrega ao canto dos pardais

O bêbado e o poeta
Mistura de gêneros conflitante  
Um ébrio na bebida a viver
O poeta solitário faz da poesia seu lar

Inconsequências irreparáveis 
As rosas tristes põe-se a chorar
O destino velozmente os separa
Seres feitos para se amar...


            Poeta do Sertão
                20-09-2015