sábado, 26 de setembro de 2015

A Nossa Arte de Amar





Amor...Nobre...Amor
Sentimentos dos ricos e pobres
Dos monarcas e plebeus 
Esta é nossa arte de amar

Sentimento que domina o coração
O amor e nobre em sua plenitude
Nos trona sensíveis 
Por vezes nos leva a perder a razão

Nos envolve em prazer
E nos leva a loucas emoções
Amor...Nobre...Amor
Delírios de paixão

Amo...Amar...Amarei
Ainda que me tirem a luz
Sem misericórdia sem pudor
Ainda assim em mim haverá amor

Amarei sempre
Por toda minha eternidade
Em mim estará presente o sublime amor
Até aos meus inimigos ei de amar

E na nossa arte de amar
As arvores, aos pássaros Rios e animais
Na minha alegria de Viver 
A todos por toda minha vida irei amar...

Sem inveja, sem ambição
Sem maldade no coração
Enquanto vida eu tiver 
A todos  tratarei como irmão...


          Poeta do Sertão
               24-09-2015