terça-feira, 22 de setembro de 2015

A Dona do Bordel





PERSONAGENS:
Maria-Pega-Fogo
Chicão
Arrasta-Pé
Boca-Mole
Ritinha
Ricardo-dos-Sonhos
Ricardo-dos-Anjos
Xicona







Cena 1 Cenário único: Hotel. Balcão de atendimento para clientes, rádio, um sofá
com dois ou três lugares, uma mesinha de centro e alguns vasos com flores.

Maria-Pega-Fogo está atrás do balcão quando entra Arrasta-Pé
(arrastando uma das pernas).
 
Arrasta-Pé.
Ei dona Maria, mi dá um pedaço di pão pra mode eu comê...

Maria-Pega-Fogo.
Eitá diacho de homi vai cortá a grama do jardim que eu te dô o que comê.

Arrasta-Pé.
Mais aqui num tem jardim, só tem carçada.

Maria-Pega-Fogo.
Então, se num tem jardim num tem trabaio, e se num tem trabaio, num tem o
que comê, certo?

Arrasta-Pé.
Sua mão de vaca...

Maria-Pega-Fogo.
Sô mesmo!

Sai Arrasta-Pé entra Boca-Mole. 
Boca-Mole.
Ei garotona, tá nervosa tá? Quem sabe o papai aqui possa te acalmar os nervos,
é só dar trela.

Maria-Pega-Fogo.
Xíííí...ôia só quem chegô, o bunitão que pensa que é bunito.

Boca-Mole.
Xíííí...(pra platéia) já vi que a garotona tá nervosa mesmo. Então gatona, o
Arrasta-Pé tá te enchendo o saco é? É só falar que eu dô um jeito nele.

Maria-Pega-Fogo.
Sai um entra outro, oh sorte disgramada. Num tem ninguém me enchendo o
saco não seu babaca, pra começá nem saco eu tenho.

Boca-Mole.
Calma, meu docinho de coco. Eu sei que você não tem saco. Se tivesse eu
não tava aqui tentando,... tentando...

Maria-Pega-Fogo.
Aproveitá! (faz gesto obsceno) 
Boca-Mole.
Epa! Não foi isso que eu quis dizê, foi você quem dizeu.

Maria-Pega-Fogo.
É,... num quis dizê, só quis fazê! Vai falando o que cê quê bunitão, porque eu
tenho mais o que fazê, tá?!...

Boca-Mole.
Quero nada não! Eu tava passando quando ouvi a discussão e então resolvi
parar pra ver se podia ajudar.

Maria-Pega-Fogo.
Já viu que eu num preciso né? Entonce, tchau! Cai fora!

Boca-Mole.
Num caio!

Maria-Pega-Fogo.
Chicão!

Boca-Mole.
Fui!...

Chicão aparece usando óculos escuros e cabelo black-power. Ensaia alguns
movimentos de dança ao som de música funk.
 
Chicão.
Pois não madama, qual o problema aí?

Maria-Pega-Fogo.
Nada não Chicão, precisa mais não. Brigado. Vai tomá café, e vê se num toma
tudo hem?...

Chicão- Tá bom dona Maria

Chicão sai dançando.
Maria-Pega-Fogo desabafa sozinha sentada no sofá. 
Maria-Pega-Fogo.
Diacho de vida. Meu tio morre e invéis de deixá uma fazenda pra mim, acabou
deixando esse hotel que mais parece casa de luz vermeia. É um entra e sai que
num para mais.(faz gesto obsceno) Se pelo menos desse dinhero tava bom. O
pior é guentá as cantada desses pé rapados que num tem nem onde cair morto. E
pior que o cheiro de prefume de um real é o cheiro de chicrete de hortelã

misturado com cachaça de cinquenta centavo. Ah, se eu tivesse nascido homi
talvez tudo fosse diferente, nóis mulhé sofre...


Maria adormece no sofá e sonha com um figurão. Luz azul fraca.
Surge Ricardo-dos-Sonhos vestido com terno branco e flor na lapela.
 Ricardo-dos-Sonhos.
Ei, olá...

Maria-Pega-Fogo.
Quem é você? Tá querendo um quarto?
É quinze real...

Ricardo-dos-Sonhos.
Não, não! Permita que me apresente. Eu sou Ricardo-dos-Sonhos.

Maria-Pega-Fogo.
Eu sô a Maria...

Ricardo-dos-Sonhos.
Você é muito bonita, Maria...

Maria-Pega-Fogo.
Brigada moço, pela delicadeza.

Ricardo-dos-Sonhos.
Não foi nada. Gostaria que me perdoasse, pois eu estava ouvindo seu desabafo
feito ainda a pouco. Se você quiser conversar um pouco com um amigo, eis um
bem aqui à sua frente.

Maria-Pega-Fogo.
Ai que vergonha. O moço iscutô tudo o que eu tava dizendo? Ai, ai, ai,...
(suspira) Sabe moço, é que eu num me conformo com as coisas que
acontece com a gente. Nóis trabaia, trabaia e nunca tem nada na vida. Num
témo ropa nova, num témo tempo pra istudá ou passiá... num pode fazê isso,
num pode fazê aquilo, e...

Ricardo-dos-Sonhos.
Calma, calma,... Eu entendo a situação.

Maria-Pega-Fogo.
Intendi?

Ricardo-dos-Sonhos.
Entendo!... Eu também não concordo com muita coisa. Por exemplo; Não
concordo que uma mulher abandone os estudos somente porque se casou. Não é
admissível que a mulher fique dentro de casa lavando, passando e cozinhando
para o marido e os filhos e ainda levar uma tremenda bronca do esposo só
porque o jantar atrasou ou porque esqueceu de passar sua camisa favorita.


Maria-Pega-Fogo.
Nooooosssaaaaa!
Mintira!

Ricardo-dos-Sonhos
Também não concordo que a mulher passe a maior parte de seu tempo só
fazendo cobranças de seu esposo. Às vezes a pressão descarregada sobre o
homem pode fazer com que o mesmo cometa muitas besteiras. O engraçado de
tudo isso é que durante o namoro o casal faz muitas promessas, após o
casamento pouca coisa é cumprida.

Maria-Pega-Fogo.
Ai moço, cê parece tão diferente dos otros homi que tem por ai. Inté seu jeito di
falá é diferente, o moço fala cada palavra difice di intendê...


Ricardo-dos-Sonhos.
Você não entende certas palavras porque não teve chances de terminar seus
estudos. Espero que você não se ofenda com o que eu disse. Não foi por mal.

Maria-Pega-Fogo.
Ora, num foi nada não seu moço.

Ricardo-dos-Sonhos.
Tenho certeza que você ainda vai encontrar uma pessoa que irá lhe ajudar muito.
Com certeza você voltará a estudar, e dependendo de ambas as partes tal pessoa
lhe fará companhia por toda a vida. Será o homem de seus sonhos...

Maria-Pega-Fogo.
O homi dos meus sonhos...

Escurece o ambiente e Ricardo sai de cena. Maria acorda e percebe que
tudo não passava de um sonho. Volta à luz anterior.
 
Maria-Pega-Fogo.
Eita! Num é que eu tava sonhando?!... Também, um homi anssim, só num sonho
mesmo… (dirige-se até o balcão.)

Cena ll

Maria Pega-Fogo está debruçada sobre o balcão.
Entram em cena Boca-Mole e Ritinha abraçados.
 
Maria-Pega-Fogo.
Ííí...caramba, quasi agora tava me cantando, agora já vai catá a Ritinha.
Vai pagando premero seu Boca-Mole, que aqui num tem malandragi não.


Boca-Mole.
Toma essa mixaria. (deposita bastante dinheiro na mão de Maria que guarda
logo numa caixa de sapatos e esconde atrás do balcão)
 Você num sabe o
homem que tá perdendo. Depois cê
pergunta pra Ritinha se eu sô ou num sô uma feeeera.

Maria-Pega-Fogo.
Ainda bem que ela é muda né?... (riso cínico) Ritinha e Boca-Mole saem de cena e entra Arrasta-Pé. Arrasta-Pé.
Ei dona Maria-Pega-Fogo, me dá um bocadinho de cumida, vai?!...

Maria-Pega-Fogo.
Eita diacho de Arrasta-Pé, só sabe pedí. Chicão! Traiz aí um bandex pra esse
pidão aqui.


Chicão entre em cena com um marmitex e dá para Arrasta-Pé. Chicão.
Tó, pidão.

Arrasta-Pé.
Brigado, bundão.

Chicão.
Que foi que cê disse?

Arrasta-Pé.
Óia, num põe a mão não que eu tenho lepra.

Chicão.
Sai fora daqui seu boiola. Pensa que eu num sei que você anda fazendo troca-
troca só pra conseguir o que comer a noite, é?... E o pior é que você só come a
comida, há, há, há,...

Arrasta-Pé.
Engraçadinho... Pensa que é o tal só porque tem cabelo bom....

Chicão-
Brigado...

Arrasta-Pé-
...bril... há, há, há.... (Arrasta-Pé sai de cena dando risada, Chicão sai do
lado oposto com raiva.)
 
Maria-Pega-Fogo. 
Quê sabê, eu vou é ouvir um pouco de música. (liga o rádio e começa a dublar.
Luz sobre ela.)
 Entra Xicona, a irmã de Chicão. 

Xicona.
Oi dona Maria, tudo bem com a sinhora?.. parece que tá feliz hoji...

Maria-Pega-Fogo.
Oi Xicona, tá tudo bem! Eu tava cantando pra ispantá os males... E você, tá tudo
bem?...

Xicona.
Tudo bom comigo sim... Ôia dona Maria a sinhora podi mi fazê um favô?..

Maria-Pega-Fogo.
Podi falá Xicona...

Xicona.
Ôia, diz pro Chicão que ele isqueceu di deixá os deiz real que era pra interá o
dinhero du gaiz. Diga pr'ele num gastá pruque o gaiz tá quasi acabando visse?...


Maria-Pega-Fogo
Tá bom Xicona, podi deixá que eu aviso ele,...

Xicona.
Tchauzinho dona Maria, e brigada hem?!...

Maria-Pega-Fogo.
Di nada muiê, inté mais...

Xicona sai de cena.Cena lll Chicão entra desesperado. 

Chicão.
Dona Maria! Dona Maria-Pega-Fogo.

Maria-Pega-Fogo.
Que foi homi, que gritaria é essa?

Chicão.
Num é que eu descobri que a Ritinha não é muda coisa nenhuma. Ela fala inté
inglês.


Maria-Pega-Fogo.
Ingrês?..

Chicão.
Ééé... eu tava passando no corredor quando “sem querer” eu ouvi a voz dela
gritando anssim:
Oh yes, yes, oh yes...(empolga-se. Maria chuta sua canela) Ai...

Maria-Pega-Fogo.
Ah, fingida. Fala inté ingrês né? Brigada Chicão, agora vai trabaiá.

Chicão.
Não foi nada dona Maria. (sai imitando a Ritinha). Oh yes, oh God, yes!


Boca-Mole e Ritinha aparecem. Maria fica espantada. 
Maria-Pega-Fogo.
Mais jááááá?...

Chicão grita dos fundos. Chicão.
É inglês dinâmico, rápido e fácil de aprender.


Boca-mole.
Chicão... Vem até aqui. (Chicão aparece)Que negócio é esse de “ingrês
demônico?”

Chicão.
Não é nada não. Ah, já que você tá aqui, quero te fazer uma perguntinha. Cê
sabia que o Arrasta-Pé tá com lepra?

Boca-Mole.
Lepra? Tá falando sério?

Chicão.
Seríssimo meu irmão.

Boca-Mole põe a mão sobre o pênis. (toca música fúnebre)
Danou-se.

Ritinha.
Boca-Mole, você andou traçando o Arrasta-Pé? Quê dizer que você corta dos
dois lados é?

Boca-Mole.
É sim, e furo também, quê ver? (puxa um punhal e sai correndo atrás de
Ritinha. Saem de cena).
 Cena lV Em cena, Maria e Chicão. Maria reclama. 
Maria-Pega-Fogo.
Oh, vida. Bem que eu gostaria de mudar meu destino.

Chicão assume ar filosófico. Chicão.
Não podemos mudar nosso destino dona, o que tem que ser será. Eu por
exemplo não vou ficar nessa pindaíba pra sempre.

Maria-Pega-Fogo.
Não?...

Chicão.
Não!... Hoje uma cigana leu o meu destino e falou que se eu jogasse no bicho eu
ia acertar na cabeça. Intonce eu joguei dez real. (exibe o jogo). 
Maria-Pega-Fogo.
Deiz o quê?...

Chicão.
Real...

Maria-Pega-Fogo.
Eu pensava que era só eu que falava errado.
Deiz o quê?...

Chicão.
Real...

Maria-Pega-Fogo.
Boa sorte Chicão, cê merece.

Chicão. 
Brigadão dona Maria...

Maria-Pega-Fogo.
Chicão,... com que dinheiro cê feiz o jogo?...

Chicão.
Eu tinha deiz real... Por quê?...

Maria-Pega-Fogo.
Num era pra comprar gaiz?...




Chicão.
Como a madama sabe?...

Maria-Pega-Fogo.
A Xicona passou por aqui e deixou um recadinho pra você!
Tudo que sua irmã me falou eu vô ti repetir de novo, só com uma
diferença no final. Vai terminar tudo com “ar!” A Xicona passou por aqui e
pediu pra mim te avisar... Pra você num gastar... O dinheiro que era pra
compretá... o gaiz...

Chicão.
A última palavra num rimou.

Maria-Pega-Fogo.
Pssiii!

Chicão.
Xíííí.... Maria. Agora já ínheras... afinal de contas é pro nosso próprio bem
mesmo.


Maria-Pega-Fogo.
Tá bom, ta bom! Boa sorte de novo.

Chicão.
Brigado dona Maria,...

Entra Ricardo-dos-Anjos carregando malas. Ricardo-dos-Anjos.
Boa noite.

Maria e Chicão.
Boa noite. (Maria cumprimenta de costas sem olhar para o cliente). 
Ricardo dos anjos.
Ainda tem vaga? Preciso de um quarto por alguns dias.

Maria-Pega-Fogo.
Tem sim, qual é o seu nome por gentileza?

Ricardo-dos-Anjos.
Ricardo...

Maria leva as mãos ao peito.
Maria-Pega-Fogo.

Dos sonhos?...


Ricardo-dos-Anjos.
Não, dos Anjos.

Maria-Pega-Fogo.
Ah bom. Chicão vê se o homi tem mala pra carregá e ajuda ele. Depois o moço
desce pra acertá o aluguel. Leva ele pro... 69.

Chicão. 
Tá bom madama.

Ricardo-dos-Anjos.
Por favor, quanto está a diária?

Maria-Pega-Fogo.
Tá quinze real, pro sinhô faço deiz.

Ricardo-dos-Anjos.
Obrigado.

Maria-Pega-Fogo.
Num há di que.

Chicão e Ricardo saem de cena.
Entra Boca-Mole e Ritinha. Ritinha grita por socorro.
 
Ritinha.
Socorro! Socorro dona Maria...


Maria-Pega-Fogo.
Epa! Aqui no meu barraco não, mais devagá aí. Tá pensando que isso aqui é o
que agora, hem?...

Boca-Mole.
Essa vadia me chamou de “gileti”.


Maria-Pega-Fogo.
E num é? Seja homi e assuma. Diz, “Eu sou e pronto”. Cê tem sorte rapaiz, pode
intê iscolher o cardápio, pena que vai cair,né?...

Boca-Mole (chorando).
Ah, num fala assim, e se o “parada-dura” caí de verdade?

Ritinha.
Deixa o cabelo crescer, tinge, pinta as unhas e o shortinho deixa que eu te
empresto, tá? Eu tenho um que é uma beleza.

Boca-Mole (olhando para a platéia).
E quem vai me querer com as pernas peludas desse jeito? (exibe as pernas). 
Ritinha. 
Ai que burro meu! É só raspar...

Maria-Pega-Fogo.
Deixa pra lá garotão. Vai pra casa, relaxa, toma um banho e tenta dormir um
pouquinho. Quando você acordar vai ver que tudo num passô de um sonho, tá
bom?

Boca-Mole.
Tá bom... tchau?!

Maria-Pega-Fogo.
Tchau... E você mocinha, fala inté ingrês né?

Ritinha.
Ah, eu fingia que era muda porque eu não gosto de ficar falando muito.

Maria-Pega-Fogo.
Deixa de bestage mulé. Cê sabia que quem tem boca vai pra Roma?...

Ritinha.
Pra quê que eu vou até Roma se ela pode vim até a mim?...

Maria-Pega-Fogo.
De que jeito ó... Maomé?...(ajoelha-se aos pés de Ritinha) 
Ritinha.
Lá na feira tá anssim ó de roma. 

Maria-Pega-Fogo.
Sua tapada, aquilo num é a cidade de Roma, é uma fruta chamada romã.

Ritinha. 
Aiii,... Também num precisa ficar nervosa, né?...

Arrasta-Pé entra em cena. Arrasta-Pé.
Ai que fome. Ai que fome da gota serena, sô.

Maria-Pega-Fogo.
Eitá bicho que come viu,... inté parece bicho de goiaba.

Ritinha.
Ei Arrasta-Pé vem cá, é verdade que você tá cum lepra?

Arrasta-Pé.
Eitá, (olhando para a platéia), ela fala. (olhando para Maria)Ela num era
muda?

Maria-Pega-Fogo.
Ela fingia que era muda porque diz ela que num gosta de falá muito. (pra
platéia).
 Até parece que existe mulé que num gosta de falá.

Ritinha.
Vamos esquecer esse papo furado vai gente.
Então Arrasta-Pé, cê tá ou num tá cum lepra?

Arrasta-Pé.
Tu tá doida tá?

Ritinha.
Acontece que o Chicão falô pro Boca-Mole que você tava cum lepra, e ele quase
me matô só porque eu chamei ele de gileti, porque na verdade se ele é ninguém
tem nada a ver com isso. Afinal de contas a vida é dele, ele não anda pedindo
nada pra ninguém. E mesmo que tivesse, vida pessoal é vida pessoal... Eu num
me meto, mais como ele é meu amigo eu fiquei preocupada. Cê sabe como é né,
agente tá sempre junto e....


Arrasta-Pé e Maria-Pega-Fogo (juntos).
Cheeegaaaa!!!....

Arrasta-Pé.
Eu num tô cum lepra coisa nenhuma. Eu menti pro Chicão só pra ele num me
bater.

Maria e Ritinha (juntas).
Ah bom!...


Maria-Pega-Fogo.
Ai, ai, ai... Já pensou se o Boca-Mole resolver raspar as pernas de verdade?...

Ritinha.
Passar batom...

Maria-Pega-Fogo.
Usar minissaia e sandálias?

Arrasta-Pé.
Aí eu vou é me vingar, he, he, he...


Boca-Mole entra em cena travestido de mulher. Faz poses. Maria, 
Ritinha e Arrasta-Pé juntos.
Ooohhh!!!...

Arrasta-Pé.
Mais que maravilha.

Boca-Mole.
Gostou?...

Arrasta-Pé. 
Adorei, he, he, he,...

Boca-Mole.
Já que tô cum lepra mesmo, vou viver meus últimos momentos de uma forma
Inusitada (faz gesto afeminado). 

Ritinha.
Deixa de frescuragem homi, cê num tá cum lepra coisa nenhuma. O Arrasta-Pé
mentiu pro Chicão só pra num apanhar.

Boca-Mole.
É?...

Maria, Ritinha e Arrasta-Pé.
Ééé...

Boca-Mole 
Ah, agora é tarde. E um homem de palavra como eu não volto atrás. (sai de
cena rebolando. Arrasta-Pé sai atrás “correndo”).
 
Arrasta-Pé.
Vem cá meu docinho de coco. Vem cá pro colinho do papai, vem...

Entra Chicão. Chicão
Sei não esses dois, viu?!...

Ritinha.
Ai,ai, ai,... Além de perder meu homi ainda arrumo concorrência, assim num dá
né?!...

Cena V Maria-Pega-Fogo.
Ingraçado, inté parece que hoji é dia dos milagre. Uma mudinha voltô a falar,
agora um alejado sai correndo... o que mais pode acontecer agora?...

Ricardo entra em cena. Ricardo. 
Olá?!...

Maria-Pega-Fogo.
Quem é?...


Ricardo.
Sou eu.

Maria-Pega-Fogo.
Eu quem?

Ricardo.
Ricardo.

Maria-Pega-Fogo.
...dos Sonhos?

Ricardo. 
Pode ser...

Maria vira-se e leva as mãos ao peito. 
Maria-Pega-Fogo.
Ricardo!...

Ricardo.
Maria!... Andei tanto a tua procura.

Maria-Pega-Fogo.
Você me conhece?

Ricardo.
Sonhei contigo uma vez.

Maria-Pega-Fogo.
Também sonhei... contigo...

Entra em cena Arrasta-Pé e Boca-Mole. 
Arrasta-Pé.
Vem cá meu chuchuzinho.

Boca-Mole olhando para Ricardo.
Ooohhh! Que gatão!

Maria-Pega-Fogo.
Ôia que eu te meto a mão.

Arrasta-Pé.
E eu não tô a fim de virar chifrudo não.


[b Ritinha.
E se você num voltar a ser homi agora mesmo, eu te processo pra me pagar
pensão.


Boca-Mole.
Aaiiii... Vamu parar com tanto “ão, ão, ão”. Será que eu sou “tão, tão tão”
gostosa assim pra todo mundo querer um téco é? (dirigindo-se a Ricardo), 
prazer, Boca-Mole.

Ricardo.
É um prazer.

Boca-Mole.
É, é?...

Maria-Pega-Fogo.
Boca-Mole, meu queridinho, por que você num vai experimentar um dos meus
vestidos que tá lá dentro do meu quarto, hem?

Boca-Mole.
Eu posso?

Maria-Pega-Fogo.
Pôdi! Chicão. Leva o Boquinha pra experimentar um vestido meu lá no quarto.

Chicão.
Yes! Madama.

Boca-Mole.
Chicão. Você me ajuda a por o vestido?

Chicão.
Sai pra lá jacaré.

Arrasta-Pé.
Eu ajudo, eu ajudo meu amorzinho. (saem os três de cena) 
Ricardo.
E agora Maria, o que podemos fazer?

Maria-Pega-Fogo.
Não sei...

Ricardo.
Que tal se formos jantar?

Maria-Pega-Fogo.
Chicão.

Chicão entra correndo com um vestido nas mãos. 
Chicão.
Sim madama.




Maria-Pega-Fogo.
Hoji tô inspirada. Vou saí pra jantá e só Deus sabe a hora que eu volto.
(dirigindo a voz pro Chicão) Acho que arrumei um namorado.

Chicão-
Bem que a senhora falô que hoje era dia dos milagres, né?!... he, he,
he...

Maria-Pega-Fogo.
É... Quê foi que cê disse?...

Chicão-
Nada não. Eu disse que agora eu vou ler Jorge Amado, “A tenda dos milagres.”

Maria -Pega -Fogo.
Tá bom, tá bom,... Vê se cuida bem do hotel hem... E tem mais, tudo o que
entrá e seu, tá bom?

Chicão.
Tá bom madama. Epa! Que papo é esse madama. Aqui num entra nada não.
Aqui só sai.

Maria-Pega-Fogo.
Dexa di se bobo homi, tô falando do hotel.

Chicão.
Ah bão. Pensei que a sinhora tava me estranhando. Tchau! Bom divertimento.

Maria-Pega-Fogo.
Brigada Chicão. Bem que eu mereço. (para Ricardo) vamos?...


Ricardo.
Vamos!
Saem de braços dados.Cena Vl Entra Boca-Mole somente de calcinha e sutiã. 
Boca-Mole.
Chicão, qué me fazer o favor de me devolver o meu vestido... (Chicão devolve
o vestido. Boca-Mole olha para a platéia e escondendo o corpo sai de cena)
 Chicão retira um papel do bolso e começa a conferir o jogo do bicho. Ritinha se aproxima. 
Ritinha pra platéia.
“Eu sempre quis fazer isso”. Ritinha grita no ouvido de Chicão. 
Ritinha.
Chicão...

Chicão. 
Eitá bixiga. Que foi diacho?...


Ritinha. (com cara de sonsa) 
Que cê tá fazendo?

Chicão. 
Tô conferindo o jogo do bicho. Sabe Ritinha num é que uma cigana leu minha
mão e disse que se eu jogasse no bicho eu ia acertar na cabeça?...

Ritinha.
E cê jogou?...

Chicão. 
Mais é claro que joguei.

Ritinha.
E acertô?

Chicão.
Mas é claro que não,... Deu burro.

Ritinha. 
E que bicho cê jogou?

Chicão.
No veado. Joguei deiz paus no veado e o veado num deu!... (Ritinha olha
desconfiada)
 No jogo caramba.

Ritinha.
Ah bão. (pra platéia) É que eu fiz uma sintexe de concordância, né?... pau,...
viado... he, he, he,...

Chicão.
Até quando eu vou ficar nessa dureza brava? Sempre com a mesma roupa, o
mesmo perfume?... E esses meus cabelos...

Ritinha.
Ai Chicão, num fica assim não. Tem alguma coisa que eu posso fazer por você?

Chicão.
Tem!

Ritinha se alisando toda.
O quê Chicão?


Chicão.
Mastigar de boca fechada ajuda.

Ritinha faz cara feia põe a mão na cintura e começa a rodar a bolsa. 
Chicão.
Qué parar de rodar essa bolsa?!...(toma a bolsa de Ritinha e joga a mesma
atrás da rotunda). 
Voz de Boca-Mole gritando. 
Boca-Mole.
Aaaíííí,... Quem foi que jogou essa bolsa na minha cabeça?...

Ritinha.
Ai caramba meu! Bem que a cigana falô hem?!... Na cabeça, há, há, há,...

Xicona entra em cena. Xicona.
Chicão, cadê o dinhero que é pra interá o gaiz?...

Chicão. 
Oh irmãnzinha querida do meu coração, sabe de uma coisa? Eu encontrei uma
cigana e ela leu minha mão e disse que eu ia ganhar no bicho. Então eu joguei os
deiz real e,...

Xicona.
E você perdeu,... certo?


Chicão.
Perdi!

Xicona.
Eu juro que te mato Chicão! Eu vô socá tanta cibola n'ocê
que nóis vai inté abri uma fábrica di gaiz, cê vai vê só seu discarado sem
vergonha. Vem aqui seu safado!

Chicão.
Socorro Ritinha, me acuda!! (sai correndo da irmã. Ritinha senta no sofá e ri
muito).
 Ritinha.
Eu hem, em briga de família eu num me meto, há, há, há,...

Chicão e Xicona saem de sena Entra Maria-Pega-Fogo com cara de triste.
Ritinha se espanta e pergunta:
 Ritinha. 
Mais já?...

Maria-Pega-Fogo.
Já o quê sua doida?

Ritinha.
Cadê o namorado?

Maria-Pega-Fogo.
Ele é casado.

Ritinha.
É o que?

Maria-Pega-Fogo.
Casado.

Ritinha.
O quê?

Maria-Pega-Fogo dá um grito. 
Maria–Pega-Fogo.
Casaaaadooooo!

Ritinha.
Ta bom, ta bom, num precisa gritar né?
Bem que eu desconfiei que ele era casado.

Maria-Pega-Fogo.
Como cê desconfiou que ele era casado?

Ritinha.
Oras bolas, ele num tava usando aliança ué!

Maria-Pega-Fogo.
Mais que cabeça de vento, é os solteiros que não usam aliança.

Ritinha.
É nada sô! Os casados tiram as alianças só pra conquistar nóis sabia?

Maria-Pega-Fogo.
Num é que essa doida tem razão!
E as mulheres, também faiz isso?

Ritinha. 
As mulhê são diferentes. Nóis preferimos usar aliança só pra dizer que já temos
maridos. Pois nóis sabemos que os homens gostam de coisas difíceis de
conquistar.


Maria-Pega-Fogo.
Quer dizer que os homens tiram o dedo do anel e nóis as mulheres põe?...

Ritinha.
Isso mesmo! Eles tiram e nóis põe!

Maria-Pega-Fogo.
Voltando ao assunto, Ritinha, eu tô tão triste!
(Chora nos ombros de Ritinha)

Ritinha.
Chora não dona Maria. Tá todo mundo olhando.

Maria mostra o dedo pra platéia. 
Maria-Pega-Fogo.
Eu só queria alguém pra viver ao meu lado o resto da vida.
Mas tá difícil de achar. Tem homem casado, homem viado (entre Boca-Mole) 
Homem sonhador (Entra Chicão) e o pior de todos é aquele que não tem coragem
de lutar por nada na vida (entra Arrasta-Pé)só sabe depender dos outros. Sabe
de uma coisa, as vezes é melhor ficar sozinha do que mal acompanhada!

Maria vira de costas para Ritinha. Ritinha grita o nome de Ricardo como se o
estivesse vendo realmente à porta do hotel.
 
Ritinha.
Ricardooo.

Maria vira-se rapidamente como se estivesse a sua espera. Ritinha e os demais a olham paralisados e com vontade de rir.
Maria pega a vassoura e começa a correr atrás de Ritinha.
 
Maria-Pega-Fogo.
Vem aqui sua magrela.Vou arrancar sua cabeça fora.

Ritinha.
Não dona Maria. Eu só tava brincando. Socorro gente, me acuda. Socorro!

Chicão, Boca-Mole e Arrasta-pé tentam ajudar a Ritinha, mas tudo acaba se
transformando numa verdadeira bagunça.

FIM