quinta-feira, 17 de novembro de 2016

SOMOS TODOS IGUAIS




No reflexo do meu espelho
Na imagem do meu eu 
Me vejo de frente ao seu ser
Sorridente como a me dizer sou igual a você

Minha pele, na sua pele seus lábios 
Os seus cabelos em seus olhos 
Te vejo em meu corpo
Duvidas não pode haver somos iguais eu e você

Como foi bom te encontrar 
Contigo pela orla do mar
Abraçados coladinhos sobre o luar 
Corpos uniformes a passear 

Somos todos iguais
Nos versos da magia feitos em poesia 
Minha lagrimas em seus olhos
Na magia dos nossos corpos a se encontrar


                  Poeta do Sertão