domingo, 6 de março de 2016

Alberto Cuddel

“Fecho os olhos…
E vejo um instante
do amanhã que me aguarda…”
 
Elevo-me nas asas de uma garça,
planície espraiada no teu olhar,
tomas-me pela mão, conduzes-me segura,
ao sonho, que em ti deposito
no meu sono em ti.
No leve piscar das pálpebras pesadas,
pela responsabilidade do sentido
da água corrente, que nos alimenta
o prado do amor que nos congrega,
no florescer primaveril,
encontro o futuro
do mundo a construir
nas nossas mãos.
 
Fecho os olhos…
atreve-te a sonhar o futuro em mim,
pela ação que me molda,
tornar-me homem,
pela criação da mãe,
atreve-te a alternar a balança do bem,
do mal, faz-me ser ação do teu querer.
 
E vejo um instante
do amanhã que me aguarda…
sonho nas palavra que almejo escrever,
a mudança no teu olhar,
tu que à praia chegas
com as mãos cheias de nada,
coração ávido
de uma segurança infinita,
na base de um nordestino arco-íris
de esperança, junta-te a mim em sonho,
sejamos ação sonâmbula,
de um mundo melhor!
 
Alberto Cuddel