quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

DOÍDA E DOIDA DOR DOS DIAS ADIADOS


 

 Ás vezes procuro

no escuro do quarto

murmúrios esquecidos de amor farto

 

 

silêncios coloridos

de esperança

resquícios de libido abandonados. . . 

 

 

Mas, ai! Dentro do escuro

só o escuro!

E eu . . . sozinho e nu de sentimentos

 

 

saudoso de mim mesmo

e dos momentos

felizes . . .  que adiei para o futuro!

 

PAULO MIRANDA BARRETO   09/2015

Arte:  Sad Man-------AYSE DENIZ

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.