sábado, 2 de janeiro de 2016

Estrada

















Aonde está o sol, que um dia fez girar os girassóis?
E que me acompanhava quando me sentia a sóis?

Enquanto caminho, hoje, me espero, 
somente eu e eu.
O pó nas feridas, os pés salientes e a 
esperança esperando-me à morte.
Hoje, somente hoje tenho minha janela aberta, 
o espelho quebrado na pia e o sol
lá embaixo sorrindo-me amarelo.

Têm roupas no varal, e o cheiro da chuva já molhou a terra em pó 
que o carroceiro espalhou no risco da estrada rumo ao sol...


Paulinho Dhi Andrade
28/06/2008