quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Maria Bunita e Lampião


Queria tê a cara di lampião
Os zóio dele
Os tempo dele
Queria tê o coração de Maria bunita
Os zóios dela
O coração dela
No tempo dela
Deitá com Maria Bunita nas água da cachoeira
Bêbê água co´as mão
Senti o xero do mato seco e moiado
Ver o céu azuli do sertão
Má que tudio viesse dum tempo bão
Sem morte sem alarde
Sem volante no cangote
Pra fazer reunião
Morte não...
Eu só queria ser lampião e e poder ver o amor de Maria bunita
E pegá nas mão dela
Sem cerimônia
Cum coração

Emmanuel Almeida